Blog Esalqueanos

O Dono do Gramadão (Pikira; F87)

19/10/2019 - Por cesar figueiredo de mello barros
312 views 7 Gostei 0 Não gostei

A gente já chega como que voltando pra casa, se sentindo meio dono daqueles gramados, considerando o Athanassof uma espécie de nosso avô que construiu aqueles vetustos prédios e plantou aquelas arvores todas (falando nisso, o nosso estimado ipê felpudo continua desaparecido?).


Sempre que vejo o mar começo a imaginar aqueles malucos portugas embriagados de vinho do Porto desembarcando no nosso Patropi, abençoado por Deus e bonito por natureza. Ali na São João da Montanha fico imaginando meu avô Itajubá F29, o Radamés Accorsi e o Fernando Costa, ternos cáqui e botas engraxadas, dura Lex sed Lex e no cabelo só gumex, Toledo Piza e Maneco Vargas saindo de velhas fotos amareladas para povoar meus devaneios e admirar nossa gloriosa abençoada por São Luiz Vicente e Santa Ermelinda e sua natureza bonita por engenho e talento de tantas gerações de esalqueanos.


Me pego comparando os alunos tão meninos, custo a crer que fomos tão jovens e que tínhamos a pretensão de mudar o mundo, agora as paredes da memória tem fotos coloridas, mas desbotadas e esmaecidas, os originais mais grisalhos, gordos ou Carlos,maldito corretor automático que não permite escrever sobre a calva quando quero, já não somos sapiens, mas homo chipeans, perdão pela digressão.


De manhã, cara de verão na primavera, "aqui era a casa do Salim Simão, ali do Ibrahim, essa biblioteca é nova,..." cerimônia solene, o indefectível Zilmar, discurso inaudível (mas mesmo assim emocionante) do Dr. Fernando da Manah turma de 1936, não perdôo e nem voto no Serra por tirar a festa do nosso Ginásio, já foi na beira do Pisca, o Engenho também é bom, já cai na Rua do Porto e toma a saideira, chamávamos de "carne fria, chope quente, homem bêbado", hoje seria injustiça, e grande, com a Adealq.


De repente, os mesmos olhos e sorrisos, agora com todos os pixels, postam nomes, apelidos, histórias & estórias, todos afirmando que no seu tempo é que era bom, temíveis doutores raladores transformados em afáveis senhores simpáticos, bixada fétrida (fétida e pútrida) mudaram o hino de marcha pra rap, parece que foi anteontem, acho que já escrevi isto antes, vantagens da idade, poucos se lembram, quem não vai, perde. 


E muito.

César Figueiredo de Mello Barros (Pikira F87) Engenheiro Agrônomo, Ex Morador da Republica Avarandado.


PUBLICIDADE
APOIADORES